quarta-feira, 27 de maio de 2015

1º GP Atletismo Clube Pedro Pessoa Escola de Atletismo (CPPEA)

Já se sentia o calor quando saí de casa. 
A partida e chegada desta 1ª edição do GP CPPEA distam cerca de 1 Km da minha casa, como tal fui a pé para o local.
No levantamento do dorsal foi-me entregue também um saco com folhetos e a t-shirt de oferta. Como não tinha carro aproveitei para voltar a casa para deixar o saco e usar o trajecto para o aquecimento.

Por volta da hora marcada deu-se então a partida
O inicio era a subir. Apesar de ligeira no 1º Km, o que possibilitou um inicio rápido, a inclinação acentuava-se no 1,5 Km seguinte. Apesar dos 4'26'' no 1º Km, o segundo já baixou para 4'57'' e os últimos 500 metros da subida foram feitos numa média perto dos 6' /Km.
Nesta fase fui passado por alguns atletas mas os 92,5 Kg no dia da prova não ajudaram a subir mais rápido. Pois é, sem perceber como, estou com quase 4 Kg a mais. Já estou a tratar deles.

Fim da subida, altura para recuperar e repor o ritmo pretendido.
Entravamos numa altura do percurso num sobe-e-desce muito ligeiro o que não comprometia o ritmo, mas o calor já começava a fazer mossa.
Nestes 3 Km's até ao abastecimento passei muitos atletas, alguns deles dos que me tinham passado na subida inicial, o que motivava e ajudava a manter o ritmo.

(foto: Atletismo Magazine)
Perto dos 5,5 Km's estava o único ponto de abastecimento da prova. Aproveitei também para me refrescar para atacar os últimos 4 Km's que seriam maioritariamente a descer, numa zona onde treino regularmente e que bem conheço.

Pouco depois do "banho" no abastecimento, lembrei-me que o dorsal era de cartão. Olhei para baixo e vi o dorsal preso somente por 2 dos 3 alfinetes que usei. 10 segundos depois, com a ajuda do vento frontal, já não tinha dorsal.
Durante uns décimos de segundo ainda equacionei deixar o dorsal mas depressa me arrependi. Voltei uns metros atrás, agarrei no dorsal e continuei. O facto de ter acontecido num troço a descer ajudou a repor o ritmo, não perdendo mais de uns 10 ou 15 segundos no processo de recuperação do dorsal perdido.

Reposta a estabilidade do ritmo comecei a notar o esforço a aumentar. Apesar de algumas zonas de descida ligeira, o vento de frente que se fazia sentir obrigava a um esforço extra para manter o ritmo.
Mas continuava bem (dentro do possível), sempre abaixo dos 4'30'' /Km. Exceptuando a subida inicial, só dois dos parciais chegaram aos 4'32'' /Km.

No último quilómetro tento aumentar o ritmo mas, apesar do esforço, pouco aumentei. O vento estava forte e não permitiu grandes ritmos. 
Depois de mais uma ligeira subida entrei na Pista Municipal da Sobreda para os últimos 100 metros já no tartan.
Terminei com 46m08s, num ritmo médio de 4'37'' /Km.

(foto: Fernanda Silva "CAAPP")

Em relação à organização, só tenho a apontar a qualidade do dorsal, mas pelo que percebi, não devem ter havido muitos atletas a perder o dorsal. Talvez tenha abusado no "banho". ;)
De resto, tudo impecável.

Fui...



8 comentários:

  1. Tchi... até dás cabo do dorsal... :)

    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É muito speed, meu amigo... ou talvez não. ;)

      Abraço!

      Eliminar
  2. Parabéns pela prova Pedro! um bom tempo apesar do calor e do vai e vem do dorsal :)

    Passei de BTT no trilho atrás da pista e notei que aquilo estava bastante animado e com muita gente! Para o ano vou tentar ir!

    Abraço

    ResponderEliminar
  3. Muita power! :P
    Tens sempre umas belas fotos de Meta. :)
    Parabéns!
    beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tal como os modelos fotográficos, de mãos de pés, etc., eu sou um modelo de meta. Se não existe vais passar a existir. ;)

      Beijinho!

      Eliminar