terça-feira, 12 de abril de 2016

sexta-feira, 18 de março de 2016

Sim, continuo por cá...

...só tenho andado com pouco tempo ou pachorra ou paciência ou actividade ou contacto "blogueiro".
Talvez um pouco de todos, vá... ;)

Entretanto já ultrapassei a lesão de Dezembro (mal seria...), já fiz a minha 100ª prova (no próximo domingo será a 102ª) e continuo na busca da boa forma do passado.

Decisão para 2016, não vai haver maratona.
Vou descansar do stress de 4 anos a focar o ano nas maratonas e arranjar outros objectivos, que irão passar principalmente por melhorar os meus tempos aos 10 Km e à meia-maratona.

E de resto, nada de mais. O importante é continuar a correr, com motivação e boa disposição.

Fui...



segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

12ª Maratona do Porto...

...e mais umas coisitas...

Correu mal a tão aguardada Maratona do Porto. Foi mesmo a minha pior participação numa maratona.

Vou resumir porque ainda não digeri o sucedido.

A prova:
Ainda com boa cara.
(Foto: Fernanda Silva)
- Bom ambiente mas muito calor, demais mesmo.
- Percurso agradável na sua maior parte.
- Apesar de algumas zonas mortas, o apoio do público foi bastante agradável. Mas a malta do Kangaroo Health Club foram umas máquinas. Parabéns!
- Também a "família" Correr Lisboa esteve em grande número. Além do apoio durante e no final da prova, também o convívio no dia anterior foi 5 estrelas.
- Muito bem também o pessoal dos abastecimentos, sempre prontos a ajudar.
- O incentivo da campeoníssima Aurora Cunha nos últimos metros quase que nos faz esquecer os outros 42Km's.
- Algumas falhas que aponto à organização que começaram logo aos 100 metros de prova com o afunilamento na saída do Queimódromo a obrigar mesmo à paragem.
- Muito empedrado e muito percurso para "encher chouriços".
- Parece-me que abastecimentos de 5Km em 5Km é pouco, mesmo sem o calor que se fazia sentir.

E eu, uma verdadeira vergonha:
João, eu, Heitor e Tiago
A resistirmos como possível.
(Foto: Viriathvs Runners Viseu)
Depois do último treino longo na Maratona de Lisboa ter corrido de feição, nada fazia prever que a minha maratona durasse cerca de 18Km's, altura em que as pernas começaram a fraquejar. Foi quando percebi que não ia haver maratona.
Preparámos uma estratégia de caminhar nos abastecimentos e redução de ritmo de corrida. Até deu para parar para cumprimentar a família e os amigos.
A estratégia durou até perto dos 35Km's, altura que as pernas pediam mais paragens.
E lá fomos a sofrer, o tal "prazer da corrida" já não existia... um autêntico sacrifício. Foi valendo a companhia.
Fica a atenuante psicológica de ter havido muita gente a ter problemas, uns mais graves que outros.

Para a história fica o tempo final, 4h26m29s.


Não se explica, sente-se!


Fazendo uma comparação lógica com a Maratona de Lisboa, com todos os prós e contras de ambas, continuo a preferir Lisboa.
No entanto, segundo alguns relatos de repetentes, parece que as edições anteriores da Maratona do Porto foram melhores que esta última. Deixo esse benefício da dúvida com votos sinceros que já na próxima edição possam resolver as questões menos boas.

Depois da recuperação estava a apontar para a Meia-Maratona dos Descobrimentos para arrebitar psicológicamente, mas uma micro-ruptura na coxa fez-me ficar de fora. E vamos ver se consigo estar nas São Silvestres de Lisboa e Amadora, mesmo que só para treinar.


Aproveito para desejar umas Boas Festas a todos!!!

Fui...





sábado, 26 de setembro de 2015

Rumo ao Porto (semanas 6 a 10)


Mais quatro semanas e as coisas continuam a evoluir, mesmo com uma semana de férias pelo meio com uma ligeira redução de carga. E até deu para um treino de rampas.

Indiana Carla e Pedro Dundee. 

O que é facto é que os treinos específicos são cada vez mais duros, os longos cada vez mais longos, mas a recuperação é cada vez mais rápida. E até o peso vem dando ligeiras indicações de diminuição, tendo já baixado os 90 Kg.

Nestas semanas, apesar de ter falhado um longo logo no inicio de Setembro, fiz a Meia-Maratona de S. João das Lampas, vários treinos intervalados e dois longos de 29 e 30 Km.

No bom caminho...

Na meta das Lampas.

Assim vai a preparação rumo à Maratona do Porto.

T-Minus 42d 17h 45m and counting...


sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Voltei às Lampas

Correr Lisboa
Depois de um ano de interregno, voltei à mítica Meia-Maratona de S. João das Lampas.
Bom ambiente, muitos amigos, muita animação... que saudades tinha.

O trio ainda junto.
O objectivo deste ano estava dividido em três patamares, melhorar o meu melhor tempo (1h52m08s em 2013), baixar a 1h50m e, no limite, baixar a 1h45m.
Logo de inicio definimos a estratégia, iria com a Brigitte e o Zé Tó e depois logo se via.

Sendo esta a minha primeira prova depois da paragem de verão e logo na semana seguinte a 7 dias de férias com pouco treino, a reacção física era uma incógnita. 

Começámos bem. Depois da volta inicial já em bom ritmo deixámos o ritmo evoluir, se bem que as subidas faziam-me puxar pelo cabedal para não descolar.

Puxa Bri...
(Paulo Sezilio Fotografia)
Até aos 8 Km's andámos sempre perto dos 5'00'' /Km mas depois as subidas começaram a fazer mossa e o ritmo começou a baixar. Mesmo sendo uma redução ligeira acabou por rapidamente eliminar o factor 1h45m. Talvez no próximo ano.

Pouco depois da passagem pela zona de meta o Zé Tó sentiu-se indisposto e acabou por abrandar, ficando só eu e a Brigitte para atacar os últimos 7 Km's.

Apesar do ritmo de manter pouco acima dos 5'00'' /Km, as subidas já eram feitas com algum esforço extra para conseguir acompanhar a Brigitte.
Por volta dos 18 Km's acabei mesmo por descolar em definitivo. Já antes descolara numa das subidas conseguindo recuperar depois, mas desta foi de vez.

A partir daqui foi rolar até à meta, aproveitando a descida final para aumentar ligeiramente o ritmo.
Cortei a meta com 1h47m46s, média de 5'06'' /Km, conseguindo assim atingir dois dos objectivos a que me propus.


De resto não tenho muito mais a dizer, organização 5 estrelas (aquela melancia no final sabe pela vida), público sempre com os atletas (se bem que os achei menos efusivos que em anos anteriores) e em 2016 há mais.

Um agradecimento especial à Brigitte e ao Zé Tó, que me rebocavam subidas acima quando os 90Kg me puxavam para trás. Foi um trio à maneira.

Fotos Correr Lisboa aqui e aqui.

Fui...