sábado, 22 de novembro de 2014

Rock'n'Roll Maratona de Lisboa EDP 2014

Os "Vicentes" à partida.
Confesso que passado um mês e meio ainda me custa falar da minha 3ª maratona.
Não correu como esperado e tive o que nunca antes tinha tido desde que corro, câimbras.

Depois de uma preparação quase perfeita, as expectativas eram boas, sem nada apontar a qualquer tipo de problema anormal. Mas algumas coisas terão falhado...

Resumindo:

  • Km 0: Partida calma em ritmo de passeio no 1º Km.
  • Km 1: Ritmo normalizado para o pretendido, aproximadamente 5:10 min/Km.
  • Km 10: 52m. Dentro do previsto.
  • Km 15: 1h18m. Pouco depois do primeiro gel começo a ter cólicas. Não me fez abrandar mas foi companhia incómoda até final.
  • Km 20: 1h43m. Paragem técnica para um "xixizinho". Apesar de ter descarregado antes da partida já há algum tempo que vinha com vontade. Aproveitei umas árvores na zona do Jamor, eram o último sitio decente para fazer o que tinha que ser feito.
  • Km 21: 1h50m. Ainda dentro do previsto mas já com um peso anormal para esta distância a este ritmo. Comecei a perceber que algo se passava mas ainda sem dar muita importância.
  • Km 25: 2h10m. Começa a quebra, baixo entre 5 a 10 segundos por Km.
  • Km 30: 2h36m. É oficial, estou todo roto. Já vou no ritmo possível.
  • Km 35: 3h04m. Primeira paragem. Alongo mas as câimbras atacam. Não havia nada a fazer, iam ser 7 Km's bem penosos.
  • Km 41: Depois de 6 Km's em para-arranca, surgiu um sujeito vindo não sei de onde, com um spray em punho e que me diz "Põe isto!". E eu pus, ou melhor, teve que ser o Carlos a pôr (que estava comigo há vários quilómetros), porque eu não conseguia sequer chegar às pernas.
    O spray era PICALM (não conhecia). 30 segundos depois começa a passar a dor, as câimbras, tudo. Só estava cansado mas parecia que nada se tinha passado nos últimos 6 Km's.
  • Arranco, sem dores e sem câimbras, perto dos 6:00 min/Km e não mais parei até à meta.
  • Termino com o tempo final oficial de 4h13m12s.

video


O Miguel deu uma fugida
do trabalho para apoiar.
Agora a frio tenho várias explicações para o que pode ter acontecido, umas mais válidas que outras,
mas todas sem qualquer certeza.
Poderá ter sido uma paragem de digestão que tive uma semana antes e que estive 3 dias "abananado"? 
Terá o ritmo sido elevado demais? Mas se fosse nunca me iria sentir cansado à meia-maratona. 
Terá sido por não fazer o habitual reforço de magnésio nas semanas anteriores? 
Apesar de ser habitual haver lá em casa, estive algumas semanas sem comer bananas. Terá influenciado?
Ou será que foi um pouco disto tudo?

Mas o desaire não me marcou. Já estou a caminho da próxima.

A sofrer, mas com o
Carlos no apoio.
Resta-me referir e agradecer o imenso apoio dos "Vicentes" do Correr Lisboa, apoiando durante grande parte do percurso, incansáveis (alguns até iam acompanhado a prova aparecendo em locais diferentes), agradecer também o apoio de outros amigos e conhecidos (e desconhecidos) que durante o percurso tudo faziam para nos "empurrar" um pouco, a força dos outros maratonistas e meio-maratonistas com quem me cruzei antes, durante e depois da prova e, "last but not least", não podia deixar de agradecer e elogiar a forma como o Carlos Ramos me ajudou durante os últimos 7 Km's. Ele deu-me força, empurrou-me, ia à frente buscar água e voltava para trás, ajudava-me a alongar... fez tudo ao seu alcance para que eu cortasse a linha de meta. Obrigado Carlos. Obrigado a todos.

Até já...


Apesar de tudo, orgulhoso e feliz.




4 comentários:

  1. Numa Maratona a prioridade é a meta e conseguiste-a. Parabéns!

    Um abraço

    ResponderEliminar
  2. Pedro como te disse no dia da prova, aconteceu-te o mesmo que me aconteceu na minha primeira maratona em 2013, caimbras com fartura, no caso da minha foi devido aos inesquecíveis 34 graus que tiveram naquele dia! quanto às caimbras, poder ser um pouco de tudo o que descrevestes, desde não colocares magnésio extra no organismo até ao desarranjo intestinal uma semana, que como sabes nos "desidrata" especialmente a nivel dos hidrólitos.

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na próxima tenta-se corrigir o possível e vamos ver o que dá. ;)

      Abraço!

      Eliminar